oliver art

Inspiração religiosa marca estilo de Oliver Art

Com 50% do corpo tatuado, Oliver Art, 39 anos, respira arte desde os 19 anos. Com duas décadas de experiência acumulada na técnica de gravar a pele, ele nasceu em Brasília e hoje mora em Águas Claras, no Distrito Federal. Nas imagens postadas em sua conta do Instagram, é nítida a inspiração religiosa. Cristão, ele se identifica com o tema e grande parte da sua clientela também tem vínculo com alguma religião.

Nesse caminho rumo ao sagrado, Oliver encontrou uma forma talentosa e tranquila de se conectar com as boas energias, envolvendo-as no seu trabalho e na sua trajetória de sucesso no mundo da tattoo. Hoje, ele integra a equipe patrocinada pelo Grupo Amazon e Viper INK, uma das mais famosas marcas de tinta para tatuagem.

O blog Tudo Sobre Tatuagem conversou com Oliver sobre seu trabalho, inspiração e influências. Ele também dá dicas preciosas para quem está começando. Confira!

 

Como começou sua história com a tatuagem e há quanto tempo você atua no mercado?

Minha história na tatuagem começou aos 19 anos. Um grande amigo viu um desenho meu, gostou bastante da minha arte e perguntou se eu não gostaria de tatuá-lo. Acabei aceitando o desafio e, desde então, estou nessa profissão. Atuo no mercado da tatuagem há 20 anos.

 

Como você define seu estilo?

Meu estilo de tatuagem é o realismo preto e cinza. As tatuagens coloridas também me agradam muito, mas acabo me identificando mais nas tatuagens realistas preto e cinza.

 

No Instagram, grande parte das tatuagens mostradas é feita em preto e cinza, e há muitos trabalhos de inspiração religiosa. Você se identifica com o tema?

Grande parte dos meus trabalhos tem inspirações religiosas. Este tema é bastante procurado pelos clientes, já que grande parte deles é ligada a alguma religião. Sou cristão, então acabo me identificando com as tatuagens religiosas. Os temas relacionados à natureza são também trabalhos. Gosto bastante de fazer animais, por exemplo. Estou sempre buscando melhorar a qualidade e o resultado dessas artes, utilizando técnicas com sombras e branco para destacar pontos essenciais da tatuagem, dando mais vida a elas.

 

Quando você fez a primeira tatuagem e como foi esta experiência inicial?

Quando era adolescente, trabalhei em uma loja de festas como desenhista. Um grande amigo meu gostou dos meus desenhos e perguntou se eu gostaria de tatuá-lo. Acabei aceitando o desafio, mas disse a ele que não tinha os materiais necessários. Então, ele se prontificou a arrumar os equipamentos e fizemos a tatuagem. O desenho escolhido por ele foi um mago, feito na região da panturrilha. Até hoje, ele está com essa tatuagem e acabamos dando continuidade com novos trabalhos. A experiência foi bastante motivadora, pois, a partir dela, entrei no mundo da tatuagem.

 

Atualmente, você tem quantas tatuagens espalhadas no corpo? Alguma é mais especial?

Tenho 50% do corpo tatuado. As tatuagens de que mais gosto foram feitas pelo mestre Marcelo Mordenti, tatuador de Santos, no estado de São Paulo. As artes são no antebraço. Uma delas é uma valquíria e a outra tatuagem é um viking.

 

Quais são os maiores desafios da sua profissão?

Os maiores desafios da profissão eram os materiais para o trabalho. Hoje, com novos produtos no mercado, podemos chegar a uma melhor excelência e qualidade na tatuagem. Depois que adaptamos ótimos materiais através de patrocinadores como o Grupo Amazon, Viper Ink e outros parceiros, as tatuagens ficaram com uma melhor qualidade e durabilidade.

 

Quais foram as suas influências na tatuagem?

Minhas maiores influências nacionais são Marcelo Mordenti e Cigano (realismo), ambos de São Paulo; Mauro César e Kaká, de Brasília. Também artistas internacionais como Dmitriy Samohin e Steve Butcher.

 

Que critérios você usa na escolha do material de trabalho, sobretudo em relação às tintas?

A Viper Ink disponibiliza tintas excepcionais para os meus trabalhos, com excelente qualidade de pigmentação. Sempre utilizo em meus trabalhos, principalmente em tatuagens que exigem sombras. Produzem um resultado homogêneo e suave.

 

Conte algum caso interessante ou curioso que tenha ocorrido no seu estúdio.

Há alguns anos, um cliente foi até meu estúdio para tatuar o seu cachorro. Ao iniciar a sessão, ele disse: “Não quero ver a tatuagem. Vou fechar os olhos e confiar no seu trabalho”. Finalizada a tatuagem, ele olhou o resultado e chorou. Ele disse que seu cachorro era muito especial para ele, pois acompanhou sua trajetória de estudos sempre ali, ao seu lado, desde o ensino médio até a sua aprovação em um concurso público. Meses após a sua posse, o cachorro faleceu e, então, ele quis prestar essa homenagem ao seu cão.

 

Que conselhos daria a um tatuador iniciante?

Para tatuadores que estão começando, indico estudarem bastante, além de ler e compreender sobre a história da arte, pesquisar sobre tatuadores influentes e com longo tempo na tatuagem, observando os detalhes de seus trabalhos. Indico também fazer desenhos, aprender sobre luz e sombra, dimensão, proporcionalidade etc. A tatuagem é um estudo diário. Cada dia, nos aprimoramos mais, estamos sempre aprendendo e renovando nosso trabalho para obtermos melhores resultados e a satisfação de nossos clientes. A procura por materiais de qualidade também é de suma importância para qualquer tatuador que deseja ter ótimos resultados.

One thought on “Inspiração religiosa marca estilo de Oliver Art”
Deixe sua Pergunta ou Comentário: